quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

LEANDRO E O NATAL - PARTE V


O Sargento Antunes interrompe-o:

" O Inspector tem a certeza de que este Zé do Laço esteve em Vilar dos Tristes? É que ninguém se lembra de ninguém com este nome e não têm recebido qualquer queixa de fraudes. Neste momento, o grande problema deles é o jogo ilegal."

 " Mas ele também pode estar metido." comenta Leandro " Tenho que esperar pelos documentos da Brigada Anti-Fraude."

O Alcides entra nessa altura com novas informações sobre o carro.

" O Inspector tinha razão. Este carro foi roubado em Vilar dos Tristes e pertencia a um José... " consulta as notas " Manuel Vicente que também desapareceu. "

" Isto confirma a minha teoria de que o Zé do Laço esteve em Vilar dos Tristes. " murmura Leandro " O que se passou lá, o que poderá ter contribuido para a sua morte e ainda por cima, atirar o carro para dentro de uma esquadra... é o que temos que descobrir." anuncia aos dois subordinados.

" Não agora! " contraria o Sargento Meireles " O turno da manhã vai entrar agora às 08h00. Passamos o assunto?" sugere, mas Leandro abana a cabeça.

" Não, não. Eu aviso o Comandante de que vou seguir este caso. Vocês podem sair; deixem toda a informação disponível na minha secretária. Volto esta tarde." e saí.

Já estão a colocar uma porta provisória e alguém varreu os vidros.

CONTINUA

  

2 comentários:

Larissa Santos disse...

kkk Muito bem. Siga ao próximo :))

Bjos
Resto de uma boa Quarta-Feira.

Sofá Amarelo disse...

Um parêntesis aqui para realçar a curiosidade dos nomes da tua ficção... além dos nomes das personagens que parece que só podiam ter exactamente aquele nome, também consegues ir buscar nomes de lugares, por exemplo, que são uma dádiva para quem segue a tua narrativa com atenção: e Vilar dos Tristes é um nome soberbo para uma história deste género.