domingo, 24 de dezembro de 2017

LEANDRO E O NATAL


Este ano, o Inspector Leandro não se importa de passar o Natal sozinho.  

Não entende muito bem esta ânsia de querer estar sozinho a meditar, mas está um pouco cansado das pessoas.

Talvez porque viu demasiada maldade... e desconfie de tudo e de todos.

Por isso, não reage quando lhe dizem que estaria de piquete na Véspera.

O pessoal da esquadra vai organizar uma ceia, mas ele prefere ficar em casa, com o telemóvel ligado.

Prepara uma ceia agradável, escolhe como música de fundo uma " Lied" de Schubert e senta-se em frente da lareira a beber um gin-tónico.

Na esquadra, os rapazes devem já estar um pouco bebidos, pensa... e adormece.

Acorda uma hora depois assustado com o telemóvel.

" Sim, o que se passa?.... Calma, Alcides, não estou a perceber nada..." pede.

CONTINUA

1 comentário:

Sofá Amarelo disse...

Como eu compreendo o Inspector Leandro, por vezes só apetece estar mesmo sozinho, apesar de épocas em que é "obrigatório" estar acompanhado... descreves muito bem esse momento, mas também descreves o sobressalto que o toque do telemóvel provocou... que virá depois? Beijinhos e Boas Festas :-)