sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

LEANDRO E O NATAL - PARTE III


" Ok, alguém verificou a informação? " pergunta Leandro, abrindo o processo.

" Oh, inspector, é Natal. Só tomamos conta da ocorrência; ainda não confirmamos nada." responde o Alcides.

"  Pois.... " murmura o inspector " Se alguém tivesse confirmado a informação, saberia que a Travessa do Laço é pouco dada a participar este tipo de ocorrência.... "

Alguém bate à porta do gabinete e o sargento de serviço entra sem esperar resposta.

" Inspector Leandro, descobrimos um corpo na mala do carro. A equipa quer falar com o inspector antes de o remover." 

" Um corpo? " repete Leandro e levanta-se de imediato. O Alcides e o sargento seguem-no, curiosos.

Uns minutos depois, olham os três para o corpo de um homem, com cerca de 30 e poucos anos, que a equipa tira com todo o cuidado e coloca em cima de uma maca.

A máquina dispara e Leandro aproxima-se. A camisa está rasgada e ensopada de sangue, os braços estão cobertos de hematomas e o nariz está partido.

Mas o inspector reconhece-o. É o seu velho amigo, Zé do Laço.

O Zé do Laço de volta à cidade grande? Porquê? O que teria acontecido de tão grave na pequena cidade onde se refugiou para regressar?

" Sabe quem é, inspector? " diz o sargento, lendo correctamente a expressão do inspector.

" Sim, é o Zé do Laço. Fraudes, apostas ilegais, etc. " confirma Leandro e pede para confirmarem as impressões digitais.


CONTINUA

3 comentários:

Gil António disse...

Passando, vendo, lendo, elogiando o seu bonito blogue e publicações, anunciando:
.
Tema: *Geladas gotas na dor da separação*
.
Que o Ano Novo de 2018, entre na sua vida, pela porta do coração, trazendo: Saúde, Paz, Fraternidade, Amor, Gosto pela Partilha.
.
FELIZ ANO NOVO

grazia cantalupo disse...

Hello, your Blog is very nice and now I follow you on gfc! (#72) Do you want to return the subscription? I am here http://casaninnamamma.blogspot.it/2017/12/cutelli-caffe.html thank you!

Sofá Amarelo disse...

Muito actual, muito bem enquadrado a história e digamos o cenário natalício, e os argumentos para justificar as atitudes na altura doa no... afinal, é altura de Festas, os crimes podem esperar... ou não?